O dia que eu usei turbante fora de casa (ou um desabafo sobre não julgamentos próprios e alheios)

pessoal /

Olá! Se você chegou aqui graças ao Chata de Galocha ou ao Borboletando, aconselho que você leia, depois de terminar esse, o novo post do blog (:

Foi domingo passado! Estava friozinho, mas nem tanto, e eu estava toda feliz porque era aniversário de uma das pessoas mais importantes no mundo para mim, o meu namo-lindo. Resolvemos sair para jantar, no nosso café preferido – que deveria ter um post aqui! – e pensei: “por que não?”. Claro que uma parcela da culpa vai para todos vocês, leitores e leitoras, que me incentivaram nos comentários (tá vendo como os comentários são importantes?!).

Já estava com a minha calça jeans mais confortável e com uma blusinha básica e não estava com vontade de mudar minha roupa… Foi aí que lembrei do post e tanãnnnnn, saí de turbante! Pedi para minha mamis o lenço dela que mais gosto, pedi ajuda pro namo segurar meu cabelo enquanto fazia as amarrações loucas… E ao final: me senti linda!

gigi de turbante!

Não me considero uma menina super confiante, mas nesse dia me senti super bem comigo mesma e feliz, por estar usando algo que achava tão bonito nas outras pessoas, mas que me faltava coragem de usar. Dizia para mim mesma que “eu não sustentava o look”. E de tanto repetir “eu não sustento esse look”, eu criei em mim que nunca poderia usá-lo.

E o pior é que tenho certeza que não sou só eu, vocês também devem adorar alguma coisa nos outros mas que não usam, e também acabam dizendo para vocês mesma “eu não seguro o look”. Já escutei tanta gente dizer que eu fico bem de batom vermelho mas que nunca usariam porque “ficaria feio em mim”.

Agora me diz uma coisa: QUEM DISSE ISSO? Foi você? Pare com isso já! Já temos tanta gente para nos impor limites, nos diminuir, ditar o que devemos e não devemos dizer. Sem falar nas revistas que acabamos comprando “só para das uma olhadinha”, que estampam que temos que nos aceitar como somos, mas que é só folhear mais algumas páginas para encontrar um regime novo para ficar com o corpo da modelo “y”.

Não quero culpar as revistas, mas sim apontar as restrições que acabamos por fazer com nós mesmas por medo do que vão pensar. Usar um turbante, um batom colorido, ou até uma roupa diferente que você goste deveria trazer um sentimento bom, te fazer feliz, e não causar preocupação do que vão pensar… Os olhares tortos e atravessados geralmente são de pessoas que também tem ressalvas em usar coisas que gostariam. Alguns olhares são de maldade, é claro, e outros são de desaprovação, o que é normal, porque ninguém é obrigado a concordar com os “gostos” alheios, apenas respeitar. E respeito é algo que falta muito hoje em dia, tanto nos outros quanto em nós mesmos.

gigi de turbante!

bjs da gigi de turbante pra vocês <3

A partir de domingo, dia 13, resolvi não ter medo de usar o que quero por medo de olhares tortos. Claro que um pouquinho de senso não faz mal para ninguém, mas o que visto deveria ser uma maneira divertida de expressar o que eu sou! Olhares tortos vou ter sempre, vestida de pijaminha ou de Chanel. O que muda é o jeito que vou lidar com e se vou ligar para eles. E bem… não vou mais. Quem é importante para mim, sabe como me dar “toques” sem me fazer mal e são esses conselhos que são importantes

Só sei que eu nem notei olhares de aprovação, desaprovação, olhares maldosos ou tortos, porque estava feliz comigo mesma e feliz com tudo que estava acontecendo naquele momento (ou seja, comida e conversinhas com meu namorado amado). E bem… Agora tenho muito mais vontade de usar turbante fora de casa, contrariando completamente meu último post.

Arriscar não dói, o medo de ousar é que machuca. Então eu dou o seguinte conselho, que vocês podem seguir ou não, usem turbante, usem batom vermelho, usem saia curta mesmo se suas pernas não são iguais a da Gisele. Usar o que faz bem não vai afetar ninguém além de você, que poderá se sentir ainda mais bonita ainda!

Então tente se arriscar ao menos uma vez por semana. Use algo que não usaria, faça algo que não faria mas sempre quis fazer. Porque resolvi fazer uma mini-mudança na minha vida e romper os medos que já me aprisionaram e me freiaram! #searrisque

(Antes de ir embora, não esquece de ler o novo post do Avec que é sobre esse mesmo assunto!)

  Ei, psiu! Não esquece de seguir o Avec nas redes sociais para saber quando um post novo saiu (:
  Fanpage     Instagram   Youtube     Twitter    Bloglovin’ 

comentário(s) via Facebook

37 comentários

  1. Juliana

    Muito bom Gi! Adoreei, vc disse tudo o que o mundo deveria saber e entender. .

    Responder
    1. Giovanna

      ❤︎

      Responder
  2. Isabella

    Tão lindo a maneira que volta o carinho que recebe, me senti com um tapa na na cara agora com esse post hihi, mas foi timo ler! OBS:. E quando acho que é impossível ficar mais linda você arrasa *-*

    Responder
    1. Giovanna

      Espero que não tenha “doído”, mas sim ajudado você! Se arrisca também, vai?!!?!?! E obrigada pelo elogio ❤︎

      Responder
  3. Tatsi

    Então ainda bem que te desafiei a usar um turbante fora de casa no ultimo post, né dona Gigi? Tá arrasando, eu sabia que iria arrasar e se sentir bem. Sabe por quê? Porque você é apenas linda, maravilhosa, por dentro e por fora. Tô orgulhosa demais ♥
    Agora é minha vez de me arriscar e sair pra comprar uma meia-calça de estampa que eu sempre quis e nunca tive coragem :’)
    Beijinhos, Gi <3 Use turbantes sempre, cê fica radiante.
    Tatsi

    Responder
    1. Giovanna

      Muito obrigada, Tatsi! Sem você nunca faria isso (: Obrigada-obrigada!
      Agora trate de sair para comprar sua meia calça, tá? Te desafio! ♥

      Responder
  4. Rayssa

    Gi, você ficou uma fofura de turbante, use mais vezes!!
    Comecei a ler seu blog não faz nem uma semana e já estou adorando.
    Gostaria de elogiar também o Layout no celular que ficou super jóia ;)

    Responder
    1. Giovanna

      Muito obrigada (: Ando usando até demais, haha! Fico feliz pro você ter gostado do blog, continue vindo aqui, tá? Beijos :*

      Responder
  5. Laura Braz

    Amei muito! Você deveria fazer um tutorial de como você faz, dividir sua sabedoria! hahaha Beijos!

    Responder
    1. Giovanna

      Aguarde-aguarde (: No feriado vou gravar!

      Responder
  6. Thais

    Que texto ótimo! Me senti com vontade de sair da rua de turbante e “segurar o look”, assim como posso segurar outras várias coisas que tenho medo de arriscar! Obrigado pelo conselho ;) Beijos

    heymuchachos.wordpress.com

    Responder
    1. Giovanna

      eu dou o maior apoio (:

      Responder
  7. Mareska

    Que bonitinho *-* eu tenho essa mania de “não vou usar tal coisa porque não fica bem/não sustento o look/vão ficar olhando”. Por esses dias tinha lido um texto comentando que aqui no Brasil as pessoas não arriscam tanto quanto as gringas exatamente por causa dessa mania de julgar as roupas dos outros. Sem generalizar, faz sentido. No meu caso é porque tenho problemas em aceitar elogios e ficar no centro das atenções mesmo que por alguns segundos me deixa nervosa e ansiosa. Aí quase nunca arrisco algo novo pra evitar que apontem a tal coisa nova, mesmo que seja pra elogiar. As primeiras vezes que usei batom vermelho pra trabalhar, toda vez que alguém falava “OLHA VOCÊ TÁ DE BATOM VERMELHO!” eu queria cavar um buraco no chão e enfiar a cabeça dentro ^^”

    Eu li, e agora?

    Responder
    1. Giovanna

      Haha, é, isso é difícil também! Mas ó: não deixe de fazer algo que goste pelos outros (:

      Responder
  8. Millene

    Os curitibanos são crueis dando seus olhares frios desdenhando pessoas que não estejam vestidas de preto ou cinza para combinar com a monotonia de suas opiniões..

    Agora vem cá bonita, não sei se vc já ensinou antes, mas tu podias ensinar como faz essas amarrações legais de turbante né? Eu adorei o resultado!
    Se algum dia te ver andandinho pela rua te dou um abraço!
    Beijos!

    Responder
    1. Giovanna

      Ei! Não fala assim dos curitibanos não… Não somos nem um pouco assim, tá?! Isso é generalizado, não é só porque estou aconteceu em curitiba que só acontece aqui. Bem pelo o contrário, acredito que Curitiba seja uma cidade bem da inovadora, inclusive da moda!

      Vou fazer um videozinho ensinando (: aguarde!

      Responder
  9. Vic

    Tava escrevendo um post sobre isso quando parei pra fazer a ronda dos blogs e li esse post. E to aqui aplaudindo de pé.

    Resolvi escrever sobre isso porque que saco as pessoas acharem que podem julgar a gente né? Cortei franja e vieram mimimizar, falando que não curtiram. Mas eu curti. E para mim, isso que importa.O mesmo vale para todo o resto: deixe as pessoas usarem e serem quem elas querem!

    Parabéns pela atitude e que muitas outras meninas, assim como nós, criem coragem de usarem o que bem entendem <3

    Responder
    1. Giovanna

      EITA VIC! Que felicidade ver esse comentário seu, viu!? Te admiro há muito tempo e adoro muito seu blog!
      Sua franja ficou linda, tá?!, mesmo não tendo direito de julgar o que você faz e deixa de fazer com seu cabelinho! E bem…. Ando com uma vontade gigantesca de usar o “tá, mas quem te perguntou alguma coisa…?!”

      Torço para que mais meninas resolvam a sair da sombra do julgamento alheio! Mil beijos <3

      Responder
      1. Vic

        AFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF <3 <3

        Responder
  10. Nath

    Nossa!
    Primeiro quero te parabenizar (pelo blog e pela coragem). Todas essas pequenas coisas te tornam linda, única e foi muito importante ler isso hoje. Até ler seu post estava um pouco desanimada com algumas coisas na minha vida e você me fez refletir. É preciso coragem para mudar e enfrentar medos que colocamos – e alimentamos – em nós mesmos (o pior tipo de medo, com certeza).
    Parabéns, Gigi. <3

    Responder
    1. Giovanna

      Oi Nath (:
      Fiquei muito feliz por ter te ajudado. Espero que você consiga ficar bem com tudo que estava desanimada! Estou aqui, viu?! Seja nos comentários ou seja nos emails (:
      Mil beijos!

      Responder
  11. Lari Nunes

    Adorei teu blog, teu post, teu jeitinho de escrever…
    Já tô apaixonada =D rsrsr
    Eu super concordo com você.
    A gente tem que usar o que nos faz bem.
    E não o que agrada os olhos dos outros.
    Os estereótipos criados sabe-se lá por quem são ridículos.
    Nunca segui moda, não tem um estilo único.
    Me visto como me dá vontade.
    Tenho o cabelo roxo (no momento, né? Já foi rosa, turquesa, vermelho…)e algumas pessoas ficam me olhando torto e me perguntam “ai, por que você faz isso?”
    E por que não faria??!! O cabelo é meu e gosto de ter um cabelo legal e diferente.
    Beijos
    http://deliriosemvidrinhos.blogspot.com.br/

    Responder
    1. Giovanna

      Awn, que comentário lindo (:
      E adoro cabelos coloridos <3

      Responder
  12. Re Vitrola

    hahaha, já disse “acho que não ficaria bem em mim” quando na verdade queria dizer “acho que não acho tão bonito, mas ficou legal em você e não quero que você me entenda mal xD

    Eu gosto de acessórios de cabelo, e quando saio de bandana já comentaram: tá com dor de dente? tá com caxumba? No fundo, acho que a pessoa acha bonito, mas quer dar uma implicadinha com o “fora do usual”.

    E você ficou linda de turbante!

    Um beijo,
    Re

    Responder
    1. Giovanna

      Re <3 Eu amo seu blog (: Fiquei muito feliz de você ter aparecido por aqui! Obrigada pelo recado e pelos elogios! Mil beijos :*

      Responder
  13. Mih Oliveira

    Adorei Gi, ficou linda de turbante! Acho muito legal a forma como você escreve!

    Responder
  14. Carol

    rs.. super me identifiquei.. rs.. Já tentei sair de turbante, mas nunca consegui amarrar o lenço de um jeito bonito. Fora o medo.. rs.. Depois de sua experiência, acho que vale a pena, viu…

    Ah, e vc ficou mto fofa nesse look!

    Obs.: por que será que tem gente que “reprova” uma coisa tão inofensiva como um turbante, né…? Eu, hein…

    Bjs

    Responder
    1. Giovanna

      Vou fazer um post ensinando, tá? ♥

      Responder
  15. Debora Nardi

    Gigi, ta liiiiiiiinda de turbante! E seu blog é a coisa mais fofinha, rs. Bjus!

    Responder
  16. Bruna

    Ei Gigi, tudo bem? eh minha primeira vez por aqui e ja adorei esse espaco! Hoje mesmo estava falando com uma amiga sobre ousar mais, sobre usar mais o que a gente gosta e ligar menos oro julgamento alheio! A nossa vida eh tao curta para nao nos permitirmos certas coisas…

    Continue assim!

    Beijos!

    Responder
    1. Giovanna

      Oi Bruna! Fico feliz que você tenha gostado e espero que volte sempre, tá?! Olha só a sintonia (: haha Beijos :*

      Responder
  17. Adriana

    Uso turabante e batom colorindo, tudo junto e misturado. Me sinto ótima e nem noto os olhares estranhos, mesmo em SP a galera não aceita as diferenças.

    Responder
    1. Giovanna

      Que exemplo você é <3 Farei isso ainda essa semana! E dane-se a galera (: O que importa é você-com-você!

      Responder
  18. Jéssica

    Gigi, conheci seu blog hoje através do Chata de Galocha e preciso dizer que ele caiu como uma luva. Há semanas (talvez meses) venho ensaiando tomar coragem pra usar batom vermelho na faculdade, porque né, batom vermelho na faculdade!?!? Morro de medo dos olhares e comentários de que “estou arrumada demais”, mas sigo na incessante vontade de usar batom vermelho com mais frequência na minha rotina. E depois de ler isso digo sem medo: dessa semana não passa! Se for apedrejada ou algo do tipo, te conto hahah
    Beijos!

    Responder
  19. Tamires

    Ahazou no post isso ai ! To me libertando da opiniao alheia e começando a ser quem sou !

    Responder

Deixe seu comentário