Star Wars: Force Friday, BB-8 e mais!

comprinhas /

802132735_7973932099677577108

Semana retrasada, no intervalo do Monday Night Football, a ESPN passou pela primeira vez ever o trailer oficial de Star Wars: O Despertar da Força que é o sétimo filme da saga.

Eu, como qualquer outro fã de Star Wars (inclusive minha avó que ama muito a série), fiquei muito animada e me toquei que não contei na-di-nha sobre minhas últimas aventuras relacionadas à série pra vocês… Mas não seja por isso, aí vai:

Force Friday + BB-8!

No dia 4 de setembro foi a Force Friday, onde todos os brinquedos do “O Despertar da Força” foram lançados ao redor do mundo. Para isso, no dia anterior, a Disney chamou vários Youtubers para fazer um “unboxing” ao vivo de algum desses brinquedos. O mais legal foi que cada hora do dia um youtuber, de um determinado país do mundo, abria seu brinquedinho. Quem foi chamada para abrir o brinquedo do Brasil foi a Malena, uma moça muito querida que já falei sobre aqui, o que é ótimo já que teve uma mulher nesse evento nerd!

Mas enfim, na meia-noite do dia 3 pro dia 4, diversas lojas do mundo ficaram abertas para receber fãs de Star Wars para conhecer os novos produtos e bem… comprar. E como Chicago foi uma dessas cidades que teriam lojas abertas e como estava de ~bobeira no dia~, resolvi dar uma passadinha por lá.

Por volta das 11:00 a fila já tinha um pouco mais de 100 pessoas, muito entusiasmadas e todas com camiseta de Star Wars. Fiquei com um pouquinho de vergonha alheia quando começaram a cantar a Marcha Imperial porque tudo tem limites, hehe. Esperei um pouquinho na fila, vi um menininho vestido de Darth Vader e quase morri de fofura (inclusive levaram ele lá pra frente tirar foto e depois devolveram ele pro final da fila #sacanagem).

Demorei uns 10 minutos para entrar na loja quando deu meia-noite. Quando entrei ganhei um poster lindinho do filme, fiquei muito feliz porém comecei a ficar com muito medo. Tudo estava i-n-s-a-n-o. Todo mundo era adulto, mas pareciam que nunca tinham visto bonequinhos na vida. Sem brincadeira, a galera tava brigando por produtos, empurrando e tudo mais. Começou a me dar mil tipos de ataques e queria muito sair de lá. MAAAAAAASSSSSSSSSSSS, eu avistei, do outro lado da loja, uma coisinha que ganhou o meu coração.

Algumas coisas não podem ser explicadas, elas simplesmente acontecem. Mas, como sou a rainha do textão™ vou tentar explicar:

  • De manhã vi o vídeo de lançamento do BB-8. Achei fofinho de morrer, mas não dei muita bola.
  • Quando estava na fila perguntaram se eu tinha interesse em comprar, disse que sim, mas não ia comprar não, hehe.
  • Estava tentando fugir da legião enlouquecida quando vi uma bolinha de amor rolando pelo chão. Nosso corações se cruzaram e fiquei apaixonada s2s2s2.

Não consegui resistir à essa bolinha laranja-e-branca que é o BB-8 e comprei. Mas para vocês não me julgarem demais, fiz um video pra todo mundo se apaixonar comigo:

Além disso comprei uma camiseta da “Resistência” e um Action Figure do ~novo stormtrooper~, porém fiquei super triste que não tinha mais a Rey, que era quem eu queria, já porque os adultos enlouquecidos compraram todas ): Mas o que eu amei mesmo foi esse BB-8 lindo e maravilhoso e rolante <3 Sou só eu ou ele é realmente maravilhoso?

anigif_original-15283-1444853410-4

“A gente nunca sabe o dia de amanhã”, uma das frases que minha vó sempre diz  pra ilustrar como as coisas vão além do nosso controle e nem sempre podemos ter certeza como vai ser o desenrolar da nossa história. E, na minha opinião, essa é a frase que sintetiza viver com um problema psicológioco.

A gente nunca tem certeza de muita coisa. Não dá pra saber direito se amanhã vai ser um dia bom, ou se vai ser um dia daqueles, aqueles dias que cada minuto é um desafio à ser enfrentado. E o pior é que os desafios não são externos. Não é um morro pra subir, ou uma parede pra quebrar. Os obstáculos estão dentro de você e nem sempre dá pra se entender muito bem e, principalmente, lutar contra você mesmo.

enhanced-31580-1445964609-9

A vida inteira encarei “ser ansiosa” como uma característica minha, do mesmo jeito que dizem que alguém é alto, bonito, tem olho azul, é engraçado,…, Ou seja, a ansiedade era mais uma dessas coisinhas que me definiam, assim como meus olhos escuros ou minhas sobrancelhas marcadas. Mas não é muito bem assim que funciona, estar ansiosa com alguma coisa muitas vezes pode ser um sentimento gostoso, mas há algum tempo descobri que não era exatamente o que acontecia comigo.

enhanced-buzz-7312-1380911589-13

Eu fui realmente diagnosticada com Transtorno de Ansiedade Generalizada há menos de um ano, mas essa “condição” me acompanha há mais tempo que posso calcular. Por muito tempo achei que minha falta de vontade de sair ou a necessidade que sentia de ficar deitada era preguiça, mas hoje eu entendo que eu tenho uma doença que às vezes tira aquela energia vital que nós temos (e em alguns casos, é por isso que eu me afasto do blog).

Nós não falamos sobre doenças mentais, é algo que a sociedade não perde um tempinho pra falar sobre. Hoje, eu não tenho problema em falar que eu tenho uma doença mental, mas eu vejo na cara das pessoas um “susto” toda vez que eu falo disso. Ter alguma doença mental, é igual a ter qualquer doença física. Não podemos continuar tratando quem sofre com algum problema psicológico diferentemente de como tratamos alguém que tá doente (fisicamente). Não é fingimento, não é “drama”, não é ser “fraco”. Nós sabemos que tem gente muito pior que a gente, que devíamos ser gratos por não estarmos passando fome, por temos uma cama, um trabalho, etc e etc… Infelizmente, ainda nos sentimos mal.

Não sei se eu já comentei aqui, mas eu tenho um problema gigantesco em me relacionar com pessoas. Eu acho que todo mundo me odeia e que estão falando mal de mim e coisas assim. Eu sempre acabo me machucando por pensar demais e criar histórias em minha cabeça. Posso ter te conhecido há 2 minutos, mas já vou conseguir imaginar milhões de motivos pra você me odiar e inclusive ter uma “história” pra isso. E é simplesmente algo que eu não consigo controlar.

enhanced-6317-1445895788-1

Eu não tenho uma receita para viver com a ansiedade, porque não estou totalmente dominando essa vida. É super difícil, porque tem dias que eu não quero fazer nada. Eu acho que tenho sorte de ter pessoas do meu lado (principalmente meu namorado) que me ajudam muito e tentam deixar meus dias mais felizes e um pouco menos pesado.

Eu sinto que a sociedade em geral quer uma felicidade 24h por dia. Eu não sou feliz 24h por dia, muito pelo contrário (vamos lembrar até que me identifiquei com a Tristeza no Divertidamente, né?!). E eu não quero reforçar esse “estereótipo” social fingindo que eu sou feliz 100% do tempo aqui no blog. Por isso me sinto obrigada à vir aqui e postar esse textinho e contar um pouquinho mais sobre quem eu sou de verdade.

A gente precisa falar sobre doenças mentais. E precisamos mais ainda aceitar que elas são tão normais como ter alguma doença física. E mais: precisamos entender e cuidar das pessoas que amamos e que sofrem com isso.

chicago west loop

Um dos meus lugares preferidos aqui em Chicago é, com toda a certeza, o West Loop! Basicamente ele é o equivalente ao Meatpacking District de New York, que basicamente era uma região industrial, onde a comida/carne era empacotada e distribuída, e que hoje foi remodelada e modernizada! Com essas mudanças, o lugar ganhou uma carinha super cool e é cheio de restaurantes e barzinhos legais.

DSC_0542-m DSC_0559-m

Eu sou apaixonada por street art desde sempre, então esse lugar é perfeito! Em cada cantinho tem uma coisa nova pra descobrir, uma intervençãozinha aqui e acolá. Não dá pra não se apaixonar.

E como eu estava inspirada pelo ambiente ~artístico~ e estava meio arrumadinha, resolvi tirar algumas fotos que poderiam servir de ~look do dia~ se eu não fosse uma negação pra tirar fotos da minha roupa! Então nada de rir das minhas poses porque é assim que eu sou mesmo, meio tosca hehe

DSC_0568-m

Pra fazer look do dia tem que explicar o que eu tava usando né?! Então lá vai…

Meu suéter é da Zara, é meio velhinho, mas eu garrei amor (ele pode basicamente sair andando sozinho qualquer dia desses). Meu shorts, que não dá pra ver muito bem, é da Topshop que comprei na promoção porque tava menos de 30 reais, só que ele é uns 2 tamanhos maior que eu, mas nem ligo porque tava barateza. Minhas sandálias também andam sozinhas já e elas são da Melissa, que ganhei de natal do meu namô-lindo que nunca deixa de comentar como elas são as coisas mais feias desse mundo (mas nem ligo +1). E meus óculos, que todo mundo sempre pergunta no instagram, são da Urban Outfitters e custou uns 12 dólares e não faço ideia que modelo seja, mas só entrar lá no site que tenho certeza que vai ter algum parecido (só mandei pra ótica para colocar a lente).

DSC_0569-m

E a disposição e o carisma são meus mesmos, haha, brinks. #meujeitinholindodeser

Deixo vocês com mais fotos porque cês sabem que eu não sei me segurar na quantidade de fotos, me perdoem, mas tava tudo mt lindo mesmo.

DSC_0565-m DSC_0572-m DSC_0552-m DSC_0550-m DSC_0549-m

**perguntinha bônus: vocês gostam de ver posts sobre a cidade ou não? me contem!**

MAOEEE, cheguei! Há algum tempinho fiz um post para ~coletar~ possíveis dúvidas sobre o que estou fazendo aqui nos states, como vim parar aqui e como tá sendo minha vidinha em terras americanas. Como já faço textão mesmo não precisando, resolvi gravar um video explicando o que eu tô fazendo por aqui e ainda responder as perguntinhas que me mandaram!

Pergunta que eu te respondo:

Continue lendo →

Olhei no calendário e vi que era dia 5 e me dei conta que não tinha vindo aqui fazer o ~resuminho~ do mês e o pior: me toquei que não tinha feito o resumo do mês de agosto e me senti mais que na obrigação de vir aqui para contar o que tem se passado na minha vida!

Setembro passou rápido, mais rápido que agosto. Se eu tivesse no Brasil, ia ficar muito feliz porque isso quer dizer que o natal tá mais perto. Mas como estou aqui, eu fico extremamente triste. Não quero ir embora, não quero que o natal chegue.

Ao mesmo tempo que sinto saudade dos meus amigos, da minha familia e do meu namorado, não quero abrir mão de estar em outro país, aprendendo coisas novas diariamente e fazendo coisas que sei que não vou fazer no Brasil. E quando eu digo “fazendo coisas” eu quero dizer: andar na rua quadras e mais quadras sem medo, andar de bicicleta, ir em museus e ver gente nova. Sei que parece que estou sendo mimada e idiota, mas de verdade, estar aqui foi uma das melhores coisas que já me aconteceu!


Instagram


Posts e Vídeos do Mês


Filmes que vi e livros que li

Basicamente tá complicada a vida de livros. Não tô conseguindo me focar muito em ler além das coisas da escola… Eu comprei o #Girlboss e estou lendo devagarzinho, mas não tô empolgadona não. Eu comecei e terminei de ler o We Should All Be Feminists, da Chimamanda Ngozi Adicei, que basicamente é a transcrição de um discurso que ela fez do TED uns anos atrás. Acho que é material de leitura básico pra todas as mulheres.

Eu comecei e terminei de ver Narcos (★★★★★…) no Neflix e amei amado. Eu tenho esse caso de amor com o Wagner Moura que já vem de anos. Nada cura, nada diminui esse amor, muito pelo contrário, Narcos só fez a chama do amor crescer ainda mais s2s2s2.

Também fui no cinema ver Black Mass(★★★1/2), que é o filme novo do Johnny Depp e bem, atuação fantástica, mas o filme deixou à desejar, na minha humilde opinião. Vai ver que foi porque vi o filme todo em inglês e posso ter me perdido no meio, mas não foi algo que amei não. Também vi Aloha (★★★), um filme meio sessão da tarde que tenta entregar algo, mas não chega nunca.


Eu sei que tô sumida daqui, eu sei que não tô conseguindo fazer metade do que eu prometi, mas sendo bem sincera, eu tô pra lá de desanimada com o blog. Ao mesmo tempo que eu sei que tenho leitores maravilhosos e que amo muito dividir minha vida com vocês, vira e mexe eu fico pensando “o que eu tô fazendo com a minha vida”. Porque quem tem blog sabe: é trabalhoso e pode acabar se tornando mais uma obrigação do que um hobbie, e bem, não é isso que eu quero que aconteça aqui.

Inclusive, não sei mais se vou continuar fazendo fragmentos porque dá um trabalhão e eu nunca fico satisfeita com o resultado. Sabe, eu queria muito viver do blog, queria muito poder não me preocupar com o futuro pois eu poderia confiar que eu iria viver de publi e de views do YouTube, mas isso tá bem longe da minha realidade. Então, sempre rola uma dúvida gigantesca se eu estou fazendo o certo.

Desculpa aí o #desabafo, mas sempre quando eu resumo o mês acabo abrindo meu coração pra vocês! Nós vemos mês que vem <3